php hit counter
Personal tools
Skip to content. Skip to navigation
São Paulo, 29 de November de 2014

Secretaria Municipal de Saúde (Prefeitura de São Paulo)

Sections
You are here: Home Notícias Previna os problemas de saúde mais comuns no verão

Notícias

Document Actions

Previna os problemas de saúde mais comuns no verão

Desidratação, intoxicação, insolação e micose estão entre os maiores riscos da estação

Com a chegada de dezembro e a proximidade do verão, a população fica mais exposta a algumas doenças típicas dessa época do ano. O aumento dos termômetros vem sempre acompanhado de mudanças no meio ambiente e na fisiologia do corpo humano, que podem resultar em males à sua saúde, como desidratação, intoxicação e insolação, entre outros. Para evitar esses desconfortos, a clínica geral Márcia Gomes Massironi, coordenadora da Área Técnica da Saúde do Adulto da Secretaria Municipal da Saúde, explica a origem e os sintomas dessas doenças e recomenda alguns cuidados:

Desidratação: A perda diária de líquido é de 2,5 litros, por meio do suor, urina e fezes. No verão, perde-se mais, seja pelo aumento de atividade física ao ar livre ou pelo risco de consumir alimento deteriorado, resultando em diarréia.
Sintomas: boca seca e menor freqüência de urina. Quem sofre mais os efeitos são crianças e idosos. É possível encontrar na rede pública municipal o soro da terapia de reidratação oral, que deve ser adicionado à água para tratamento domiciliar da perda líquida. Somente casos mais graves são internados.
Como prevenir: É importante, portanto, hidratar-se bastante com água, chás, sucos. Procurar sombra, lugares mais arejados, usar roupa fresca, principalmente em crianças, e evitar muito movimento nas horas mais quentes.

Intoxicação alimentar: Ao comer alimentos mal cozidos ou acompanhados de molhos como maionese e outros perecíveis, você pode engolir junto uma série de bactérias que produzem toxinas e causam intoxicação gástrica.
Sintomas: Mal-estar, diarréia, enjôo, vômitos, podendo levar à desidratação aguda, que exige até mesmo internação hospitalar. Uma dieta leve costuma resolver o problema.
Como prevenir: Preferir alimentos frescos, verduras, frutas, legumes e verificar se o restaurante ou lanchonete é limpo. É importante verificar a validade dos alimentos, especialmente perecíveis.

Insolação: Apesar dos alertas freqüentes, ainda há preferência pelo horário em que o sol mais danos causa à pele, entre 10h e 16h. Não por acaso, o câncer de pele não melanoma é o mais freqüente no país.
Sintomas: Falta de ar, dor de cabeça, mal-estar, febre e possível desidratação, ardor e queimaduras de pele.
Como prevenir: Evitar o horário de pico da radiação solar, usar protetor adequado ao tipo de pele mesmo que esteja à sombra em locais abertos como praia e piscina, hidratar-se bastante.

Micoses: Na estação mais quente do ano, o simples fato das pessoas transpirarem mais aumenta o risco de micoses, lesões de pele causadas pela proliferação de fungos especialmente nas dobras - virilha, axilas, pés.
Sintomas: Coceira, vermelhidão, formação eventual de bolhas e alterações de pele. O risco maior é a lesão facilitar a contaminação por bactéria.
Como prevenir: Fugir daqueles pontos de água parada que muitas pessoas freqüentam (aquele tanquinho perto da piscina, por exemplo), livrar-se logo da roupa molhada, não usar tênis por muito tempo.

Ouvido: Problemas nessa região são muito comuns em crianças que vão muito à piscina ou praia.
Sintomas: Inchaço, dor, vermelhidão e, eventualmente, alguma secreção. Se esses sintomas aparecerem, é preciso passar por uma avaliação médica para evitar agravamento do quadro inflamatório ou infeccioso.
Como prevenir: Evitar ficar com os ouvidos muito tempo expostos à água.

Olhos/conjuntivite: Cloro da piscina e sujeiras na água e areia da praia são inimigos potenciais do olho. Atenção para não levar a mão aos olhos nesses locais. A conjuntivite, inflamação da conjuntiva (membrana que envolve grande parte do globo ocular), é causada por vírus ou bactéria.
Sintomas: inchaço, vermelhidão, secreção e sensação de areia nos olhos. É preciso consultar um médico, que prescreverá o tratamento adequado.
Como prevenir: O ideal é sempre lavar os olhos com água boricada e manter as mãos limpas.

Dicas gerais

  • Beber líquido com bastante regularidade

  • Dar preferência a roupas leves

  • Evitar exposição excessiva ao sol

  • Preferir locais arejados e com sombra

  • Evitar fazer exercício com sol do meio dia

  • Evitar permanecer por muito tempo com roupa úmida

  • Observar as condições de higiene se vai comer fora

  • Lavar sempre as mãos

  • Separar coisas de uso pessoal

  • Procurar o médico ao menor sintoma

Cuidados extras com crianças
Imunidade mais baixa, organismo em contínuo processo de adaptação, muita exposição à água e ao sol nesta época do ano, as crianças merecem atenção especial para que não sofram os males facilitados pela estação.
A pediatra Atenê Maria de Marco Mauro, da Área Técnica da Saúde da Criança e do Adolescente da Secretaria Municipal da Saúde, lembra que criança com até 1 ano desidrata com mais facilidade, porque a quantidade de água no organismo é maior. E, em caso de diarréia, é preciso hidratar rapidamente em todas as faixas etárias. No caso delas, é obrigatório evitar exposição ao sol entre 10h e 16h. "É preciso sempre estimular a hidratação da criança e observar a cor de sua urina. Se estiver escura ela precisa de mais líquido", alerta a pediatra.